sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Dr. Cláudio Andrade concorrerá à Presidência da OAB/Campos

Segue abaixo o texto em que o Dr. Cláudio Andrade comunica que concorrerá à Presidência da OAB/Campos.
"SOU CANDIDATO. A persistência depende de uma perspectiva mais ampla. Sempre acreditei que a maioria das coisas que desejamos não aparecem do dia para a noite. Acredito que as pessoas persistentes fortalecem-se com a crença de que o que elas querem pode ser feito. Faço esta introdução para reconhecer publicamente o meu maior desejo profissional: ser Presidente da OAB; presidir a minha classe que tanto amo e respeito.A minha decisão de concorrer ao próximo pleito da Ordem não surgiu de um mero deleite. Encontra raízes fortes na minha adoração pela profissão, na militância diária, no magistério que exerço com carinho e também na minha família.A profissão de advogado espelhada no grande Evaristo de Moraes; na militância traduzida na labuta forense, no magistério representado pela minha responsabilidade em transferir conhecimentos aos futuros operadores do Direito e, com certeza, na minha família: 'trincheira' de resistência nos momentos de desânimo. Desejo ser Presidente da OAB de Campos, pois acredito que não deve haver mudança e sim, uma alavanca delas. Tenho certeza de que a verdadeira mudança começa de dentro para fora, ou seja, temos que amar o que fazemos. Um Presidente não deve silenciar-se no vazio de seu gabinete.Vejo que a minha classe passa por momentos muito difíceis. Vários profissionais fora do mercado de trabalho, prerrogativas sendo desrespeitadas diariamente, alguns magistrados dotados de soberba, custas judiciais exorbitantes, Núcleos de Atendimento Gratuito que tiram o 'ganha pão' do advogado, dentre outras dificuldades que tornaram a profissão de advogado difícil de ser seguida pelos jovens e mantida pelos mais experientes.Um ponto que deve ser abordado é a minha renúncia ao cargo que ocupei na atual gestão da OAB de Campos. Foram quase dois anos de dedicação ao grupo, à Comissão da OAB Jovem, ao atual Presidente, aos sonhos e às promessas que fizemos juntos de construirmos algo diferente.Poderia estar até hoje fazendo parte do atual grupo, mas entendi que os ideais que nos conduziram à vitória perderam o foco central: o advogado.Concordo que muitos avanços devem ser feitos no campo acadêmico. Entretanto, o advogado não vive somente de congressos e seminários. Os advogados 'respiram' Forum, vivem da labuta diária, das audiências, de mandados e de clientes. O advogado precisa voltar a 'encher o peito' e a orgulhar-se de ser integrante da uma nobre e imprescindível classe. Para isso, ele precisa ser respeitado no exercício profissional. Necessita de um Presidente que se faça presente no gabinete do juiz ou nas serventias quando um advogado for desrespeitado.Quero deixar claro aos meus pares que não serei um candidato revanchista. Tenho profundo respeito pelos atuais integrantes da OAB, mas não ficarei em silêncio quando a Ordem que eu tanto amo não se postar ao lado de um advogado quando ele precisar de sua entidade.Serei incansável na próxima eleição. Disputarei os votos dos senhores com muito afinco; feliz pelos votos conquistados no decorrer da caminhada e respeitoso por aqueles que serão direcionados ao(s) meu(s) concorrente(s).A bandeira de meu grupo serão as prerrogativas profissionais, tão maltratadas nos dias de hoje. Ofereço aos nobres advogados uma chapa independente formada por advogados que desejam dividir comigo esse grande ideal. Advogados que nunca se abstiveram de atender um cliente e que nunca se esqueceram da importância que representam no cenário social e jurídico de nossa nação. Sou candidato porque desejo aos meus amigos de profissão exatamente o que almejo para mim: uma militância digna, ética, célere e com as prerrogativas respeitadas em conformidade com a lei. Pensando assim que lutarei pelo seu voto. Que Deus nos abençõe. Cláudio Andrade".

3 comentários:

dalva disse...

Inusitado...Só em 2007, foram 5125 municipios com PSF, 27.324 equipes implantadas com cobertura populacional de 46,6% da população brasileira,correspondendo a cerca de 87,7 milhões de pessoas(!!!)E Rosinha se diz preocupada que o programa acabe? Uma forma de trabalho que existe há pelo menos 15 anos ,mas que tem raizes desde 1991 com o PACS, quando os agentes de saúde eram os unicos representantes de saúde a quem a população de muitas localidades brasileiras tinham acesso(o que hoje ainda acontece).......Sem contar que já existia na América Latina.....
Enfim, não tem desculpa! Rosinha e Cia estão indo na contra-mão da hisporia, se vão conseguir, não sei, pois nada neste país ou neste mundo, não mais me surpreende...mas com certeza, se o concurso que obtiver a devida consideração ou, em liguagem popular "não der em nada",simplesmente será "só" mais uma das vergonhas nacionais...e, afinal, o carnaval está aí, na porta...vamos admitir...nós brasileiros já perdemos a vergonha ou pelo menos já nos deixamos perder a vergonha!!!Há muito que já aconteceu o que Maiakovski disse..."já não podemos dizer nada" ou coloco palavras de Claudio Humberto..."O que os outros disseram foi depois de ler Maiakovski.Incrivel é, como, após mais de cem anos, ainda nos encontremos tão desamparados, inertes e submetidos aos caprichos da ruína moral dos poderes governantes, que vampirizam o erário, aniquilam as instituições e deixam aos cidadãos os ossos ruídos e o direito ao silêncio: porque a palavra há muito se tornou inùtil... Até quando? "

Anônimo disse...

Será esse o motivo para que o nobre doutor não comente mais o assunto psf? será que precisa do garotinho para ser o presidente da OAB?

Helena disse...

Visita do sec Nac de Ass.à Saúde Alberto Beltrame
PSF: "CHANCES DE RETORNO."
"O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, a pedido da prefeita de Campos, Rosinha Garotinho, já designou providências para que o Programa Saúde da Família (PSF), interrompido no município desde agosto de 2008, retorne o mais rápido possível. No dia 12 de março, o secretário Nacional de Assistência à Saúde Básica, Alberto Beltrame, vai estar em Campos para buscar solução, através de um TAC com o Ministério Público (MP) e entendimento com o Governo do Estado....." (BG C.A. Sexta-feira, 13 de Fevereiro de 2009
)

(***Também conhecido como Termo de Compromisso de Ajuste de Conduta, o TAC é um acordo firmado entre o Ministério Público e a parte interessada, de modo que esta se comprometa a agir de acordo com as leis trabalhistas, sob pena de multa, tal como dispõe o art. 5º, § 6º da Lei 7.347/1985.
É, portanto, um título executivo extra-judicial, o que significa dizer que seu descumprimento enseja uma ação de execução, proposta pelo Ministério Público do Trabalho junto à Justiça do Trabalho. ***)

E daí?Afinal será uma desculpa pra continuar com os terceirizados ou estas leis trabalhistas dizem respeito aos concursados..( ? )