segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Turma da Mônica vai ajudar na prevenção da corrupção

"Com a presença de Mauricio de Sousa e de personagens da Turma da Mônica, a Controladoria-Geral da União (CGU) e o Instituto Cultural Mauricio de Sousa lançam nesta terça-feira (09), em Brasília, durante as comemorações do Dia Internacional contra a Corrupção, o projeto "Um por todos e todos por um!”. Com o lema “Pela ética e cidadania”, a proposta tem como objetivo complementar as ações que a CGU vem desenvolvendo para um maior acesso do público infantil ao tema da cidadania para a prevenção da corrupção e o exercício do controle social. A parceria terá como público-alvo crianças e jovens do Ensino Fundamental, I e II, e Médio, além de alcançar também educadores, famílias e comunidades. As peças a serem criadas para o primeiro ano do projeto são: manual do professor, caderno de atividades, histórias em quadrinhos, revista de atividades, cartazes e volantes, jogo da memória, jogo de trilha, avisos de porta, carteirinha e folder. A idéia do projeto é adotar uma metodologia que utilize a informação e a sensibilização dos alunos dentro da sala de aula, sua atuação na comunidade e a reflexão a partir dessas experiências. Vinte crianças de uma escola do município de Santo Antônio do Descoberto, que fica localizado no entorno de Brasilia, foram convidadas para participar da solenidade de lançamento do projeto ao lado de Mônica, Cebolinha, Cascão e Magali".
Fonte:

Um comentário:

Flávia disse...

Olá Cleber, lendo o Blog do Maxuell, achei o máximo esta sentença e resolví te passar.
Esta é muito legal e aconteceu em Minas Gerais... O Juiz Ronaldo Tovani, 31 anos, substituto da Comarca de Varginha, ex-promotor de justiça, concedeu liberdade provisória a Alceu da Costa (vulgo "Rolinha"), preso em flagrante por ter furtado duas galinhas e ter perguntado ao delegado"desde quando furto é crime neste Brasil de bandidos?". O magistrado lavrou então sua sentença em versos, e afirmou, antes, que Lei no País é para pobre, preto e p..., enquanto mantém impunes os "charmosos" autores das fraudes do antigo INAMPS. Na íntegra, abaixo, a sábia decisão:

No dia cinco de outubro
Do ano ainda fluente
Em Carmo da Cachoeira
Terra de boa gente
Ocorreu um fato inédito
Que me deixou descontente
O jovem Alceu da Costa
Conhecido por Rolinha"
Aproveitando a madrugada
Resolveu sair da linha
Subtraindo de outrem
Duas saborosas galinhas.
Apanhando um saco plástico
Que ali mesmo encontrou
O agente muito esperto
Escondeu o que furtou
Deixando o local do crime
Da maneira como entrou.
O senhor Gabriel Osório
Homem de muito tato
Notando que havia sido
A vítima do grave ato
Procurou a autoridade
Para relatar-lhe o fato.
Ante a notícia do crime
A polícia diligente
Tomou as dores de Osório
E formou seu contingente
Um cabo e dois soldados
E quem sabe até um tenente.
Assim é que o aparato
Da Polícia Militar
Atendendo a ordem expressa
Do Delegado titular
Não pensou em outra coisa
Senão em capturar.
E depois de algum trabalho
O larápio foi encontrado
Estava no bar do Pedrinho
"Quando foi capturado
Não esboçou reação
Sendo conduzido então
À frente do Delegado.
Perguntado pelo furto
Que havia cometido
Respondeu Alceu da Costa
Bastante extrovertido
Desde quando furto é crime
Neste Brasil de bandidos?
Ante tão forte argumento
Calou-se o delegado
Mas por dever do seu cargo
O flagrante foi lavrado
Recolhendo à cadeia
Aquele pobre coitado.
E hoje passado um mês
De ocorrida a prisão
Chega-me às mãos o inquérito
Que me parte o coração
Solto ou deixo preso
Esse mísero ladrão?
Soltá-lo é decisão
Que a nossa lei refuta
Pois todos sabem que a lei
É prá pobre, preto e p***...
Porisso peço a Deus
Que norteie minha conduta.
É muito justa a lição
Do pai destas Alterosas.
Não deve ficar na prisão
Quem furtou duas penosas,
Se lá também não estão presos
Pessoas bem mais charmosas,
Como das fraudes do governo que até hoje rola.
Afinal não é tão grave
Aquilo que Alceu fez
Pois nunca foi do governo
Nem seqüestrou o Martinez
E muito menos do gás
Participou alguma vez.
Desta forma é que concedo
A esse homem da simplória
Com base no CPP
Liberdade provisória
Para que volte para casa
E passe a viver na glória.
Se virar homem honesto
E sair dessa sua trilha
Permaneça em Cachoeira
Ao lado de sua família
Devendo, se ao contrário,
Mudar-se para Brasília.