sábado, 1 de novembro de 2008

Que política é essa?

O grande problema do político é querer agradar a todos e adotar, com este propósito, medidas incoerentes e contrárias ao Direito em favor de uma minoria. O vice-prefeito Roberto Henriques declarou, segundo um jornal local, que é a favor da manutenção dos postos dos demitidos que realmente trabalham. Ora, ninguém investe contra o emprego, mas o respeito à lei é a unica forma pela qual o político será benquisto pela população, independentemente da classe social ou do nível cultural, mesmo que venha a contrariar os interesses de uma minoria. Ao tentar ganhar a simpatia do movimento dos sem-concurso, Roberto Henriques só terá o desabono da maioria da população, que continua a ansiar pela seriedade dos políticos.

10 comentários:

Anônimo disse...

Cleber,

Estou sem acreditar que o roberto henriques tenha declarado o que está postado.
É inacreditável.
Estou no limite da desistencia, da descrença.
Pensando bem:
Melhor nem pensar.


abraço Cleber .

Anônimo disse...

Fala Dr. Cleber,

Me parece que a "gestão" dos problemas dos contratados só mudou de mãos mais uma vez. Afinal de contas, as contratações começaram no governo garotinho.
Vamos ver até quando a família garotinho vai figurar como opção de "mudança" para esta cidade. Não vai demorar muito para os garotinhos mostrarem a que vieram.

Abraços
Neil Peart

Anônimo disse...

Cléber, a prefeitura não tem condições de hoje substituir todos terceirizados por concursados, devido a folha de pagamento, é preciso antes disso reorganizar a arrecadação própria, portanto o processo de substituição dos terceirizados pelos concursasdos tende a ser gradual.

Cleber Tinoco disse...

Prezado Anônimo,

Isso não é desculpa, é perfeitamente possível que se realize um processo seletivo simplificado! As despesas, por outro lado, não podem ser maiores que a arrecadação.

Flavia disse...

Sem nos esquecermos que não precisaríamos de tantos concursados, pois tem setor com até 06 funcionários, mas que funcionariam muito bem com 02. Isso é desculpa para manutenção da ilegalidade.

Anônimo disse...

Dr. Cleber,

Na minha opinião o próximo governo só será diferente do atual se for legalista. A situação dos terceirizados é uma situação ilegal e o concurso para regularizar esta situação só deverá ser realizado se for verificado a real necessidade das contratações e as condições financeiras e legal para tal, ou seja, se os recursos próprios e os repasses obrigatórios de tributos federais e estaduai comportam o aumento da despesa(lei de responsabilidade fiscal).

Marcos Hauaji

Luiz Henrique Gomes Moraes disse...

Sr. Cléber Tinoco, precisamos de políticos com um pensamento novo, seja conservador ou progressista, nestas eleições os candidatos a prefeito e vereador não tinham um modelo de governo e legislação da cidade. Moro em Guarus e eles ainda tratam as pessoas daqui como a 10, 15 anos atrás, eles ainda representam o velho e atrasado clientelismo, na periferia e na favela campistas tem gente fazendo faculdade, tem gente lendo, ouvir funk, pagode não impede de um cara ler e falar de politica, temos uma grande maioria que vota nestes candidatos mas aqui também tem gente que quer uma alternativa, seja conservadora ou progressista, mas que pense para frente contra a corrupção, pela moralização da politica e do concurso público.

Claudia disse...

Eu concordo com Henriques! Parabens ao terceirizados que realmente TRABALHAM, nao é como alguns concursados que nada fazem.

sou jumentinha disse...

Perdoe a minha franqueza, mas tenho certeza que se você estivesse na pele dele faria o mesmo. E com sua inteligencia, ainda iria usar de argumentos elocubratórios para corroborar a sua decisão.

Você, mais do que ninguém, sabe da dificuldade que é, de repente, colocar todos na rua assim. Vamos com calma. Achei o posicionamento do Roberto Henriques sábio. E olha, uma mostra de que ele não quer agradar a todos ( ex.os blogueiros, grande formadores de opinião).

Mas as pessoas que lêem, vão logo jogando pedra no pobre do corajoso e íntegro Roberto Henriques. Aguarde! A lei vai ser cumprida. É muito fácil para quem está de fora...

Cleber Tinoco disse...

Prezada leitora,

Não, não faria o mesmo. Agora se for para rasgar a Constituição e quebrar o pacto da boa convivência, vamos fazer abertamente. Não sei se você é tercerizada ou tem algum parente que seja, mas tratamento privilegiado malfere valores fundamentais do indivíduo, especialmente o de receber tratamento isonômico do Poder Público.